Zé Povinho (2008 – A transvalorização da tragicomédia)

novembro 21, 2008 at 3:28 pm Deixe um comentário

A Banda Zé Povinho foi idealizada pelo músico pernambucano Kid Andrade, oriundo do Movimento Cultural Boca do Lixo do bairro de Peixinhos, ex-garçom do Bar Burburinho (atualmente trabalha no Quintal do Lima) e ex – cobrador de ônibus que gravou o seu primeiro demo graças ao dinheiro de um PIS, que recebeu em 2004. A banda é bem conceituada na cena local e recebe frequentemente valorosas críticas de importantes representantes do jornalismo local a exemplo do crítico musical Renato L. que considerou Kid como um dos melhores letristas da atualidade pernambucana.
A banda gravou o seu primeiro CD em 2007, com incentivo do Funcultura do Governo do Estado de Pernambuco, e produção executiva da pesquisadora e produtora cultural pernambucana Lígia Verner. Zé Povinho é digno de ser ouvido. É simpático, disposto a se divertir e gosta de estar no meio da galera. Onde o Zé Povinho passa é uma festa. No dia do Grito dos Excluídos, 07 de setembro, a banda se apresentou no Mercado da Boa Vista levando centenas de pessoas a dançar e cantar. No dia 30 de Agosto agradou e contagiou o público do Sábado Mangue com um show bastante divertido que, entre os presentes, estavam Josildo Sá, Edilza, Canibal, e gente do audiovisual, literatura, dança e outros segmentos artísticos, além da presença de gestores públicos do nosso Estado que também curtem o som do Zé. Mas a massa mesmo era a galera fã da banda que dançou e curtiu o som que rolou. Quem assiste ao Zé Povinho não fica alheio a ele. Durante muito tempo o compositor Kid Andrade fez pesquisas sobre o cotidiano dos que são quase invisíveis aos olhos da sociedade. Prostitutas, cobradores e motoristas de ônibus, garçons (como ele mesmo), entre outros, são contemplados com a música do Zé Povinho. O primeiro CD da banda tem homenagem aos poetas França e Erickson Luna, fonte inspiradora para várias temáticas discutidas pelo som da banda através de diálogos e reflexões vivenciadas com os poetas, que receberam a música Quadrinhos Riscados no Chão como retribuição pela sempre amizade. Também está registrada a participação do músico Canibal na faixa Galo na Cabeça que fecha o disco do Zé Povinho com alegria e ousadia e muito som pra se curtir e também refletir. O show do Zé Povinho é garantia de muito som bom.

Web do Zé Povinho


1. Morro
2. A Barata e o Sapato
3. Curriculum Vitae
4. Leite de Pernambuco
5. Peixe
6. Sujeira
7. O Campo
8. O Circo das Maravilhas Tropicais
9. Meretriz
10. Planetinha
11. O Bicho
12. Quadrinhos Riscados no Chão
13. Galo na Cabeça (Com Cannibal)

Download
Anúncios

Entry filed under: Ze Povinho.

Farufyno (2008 – Olho Vivo – parte A) Orquestra Imperial (2007 – Carnaval só ano que vem)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


DNA – DISCOTECA NACIONAL

Este blog nasceu no ano de 2008 e tem como principal existência, difundir a música brasileira de qualidade, seja através de bandas ou DJs.
A prioridade do blog é a difusão de trabalhos independentes. Sabemos que existem blogs que não agem da mesma forma, portanto, se alguém se sentir ofendido ou prejudicado com o conteúdo de alguma postagem, avise-nos por e-mail para que ela seja retirada imediatamente

============================
P.S. O site WORDPRESS não hospeda arquivos de música e os links aqui postados têm prazo de validade limitado. ============================
Administração e conteúdo por Juniani Marzani - DJ 440

Contato: discotecanacional@gmail.com

Categorias

Blog Stats

  • 651,038 hits

%d blogueiros gostam disto: