Posts filed under ‘Luisa Maita’

Luísa Maita (2010 – Lero-Lero)

Luísa Maita, cantora e compositora radicada em São Paulo, é filha de Amado Maita, músico e compositor que teve seu único álbum considerado o “holy greal” entre colecionadores no mundo, e de Myriam Taubkin (produtora cultural). Luisa teve contato direto com o samba jazz e o meio musical desde a infância. Conviveu com grandes músicos como Sizão Machado, Moacir Santos, Naná Vasconcelos, Paulinho da Viola, Lenine, Guilherme Vergueiro, entre muitos outros.

Mostrou sua capacidade de composição tendo dois sambas gravados por Virgínia Rosa e uma música por Mariana Aydar, “Beleza” eleita pela revista Rolling Stone como a 12ª melhor música do ano de 2009. Desde então teve matérias publicadas nos principais jornais e revistas do país chamando atenção de críticos da Veja, Folha/Ilustrada, O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde, O Globo, Bravo, Rolling Stone.

Luísa Maita também trabalhou com grandes produtores no Brasil como Antonio Pinto, Beto Villares e Bid. Teve destaque como cantora nos vídeos das olimpíadas Rio 2016 dirigidos por Fernando Meirelles, apresentados em Copenhagen e veiculados no mundo todo.

Em 2010, inicia seu trabalho solo também como cantora, indo muito alem do samba e da MPB, pesquisando uma estética diferente para o pop na musica brasileira.

Download

Anúncios

fevereiro 22, 2011 at 3:37 pm Deixe um comentário

Luisa Maita (2009 – EP)

A inspiração de Luísa Maita alimenta-se da tradição musical brasileira na mesma intensidade com que frequenta a prateleria do pop americano. Para Luísa, não há diferença sensível entre João Gilberto e Michael Jackson, Nana Caymmi e Beyoncé, funk carioca e R&B como mostra este “Lero-Lero”, primeiro álbum da cantora e compositora paulistana lançado no Brasil pelo selo Oi Música em parceria com a Phonobase Music Services.

Como compositora Luísa Maita é uma cronista que não só observa, mas participa da cidade, caminha pelas avenidas e vielas do centro e da periferia à procura de estalos poéticos e melódicos. Essa facilidade com o trato da canção foi identificada pela cantora Virgínia Rosa quando decidiu gravar dois sambas de Luísa – “Madrugada” e “Amado Samba” – e por Mariana Aydar que incluiu em seu segundo álbum a canção “Beleza” (uma parceria com Rodrigo Campos), eleita uma das melhores músicas de 2009 pela revista Rolling Stone Brasil.

A intérprete Luísa usa a sensualidade de forma sutil como forma de transmitir sensações, como instrumento de comunicação. Parece mesmo ter encontrado a medida certa para, em suas próprias palavras, “atingir o máximo de expressão com o mínimo de afetação”. Essa característica pode ser verificada (ainda que de maneira mais tímida) em algumas faixas do álbum de seu primeiro grupo, a Urbanda. A personalidade musical de Luísa ganha mais força nas participações que fez no disco “São Mateus Não É Um Lugar Assim Tão Longe” de Rodrigo Campos e “Alborada do Brasil” de Carlos Nuñez e também em sua interpretação para os vídeos da candidatura do Rio de Janeiro para as Olimpíadas de 2016 dirigidos por Fernando Meirelles.

Mas em nenhum desses trabalhos Luísa Maita se revela como em “Lero-Lero” que sintetiza compositora e intérprete, une referências musicais e pessoais com preciosismo e despojamento. Síntese cujas medidas foram assimiladas por Paulo Lepetit, o alfaiate produtor do álbum, que lhe conferiu uma vibração contemporânea através dos beats e programações eletrônicas e por Rodrigo Campos (co-produtor ao lado de Luísa) e seu violão afro que dialoga no mesmo volume com a base ritmica das canções.

O álbum é pontuado por influências da música pop e eletrônica indissociáveis da base acústica profundamente enraizada no samba, na bossa nova e na música popular brasileira. As faixas apresentam uma galeria de ritmos tradicionais do Brasil: do samba ao maculelê, da bossa nova ao baião. No entanto, aparecem desconstruídos, muitas vezes reduzidos às células rítmicas básicas que se transformam com os timbres eletrônicos dos beats e com a instrumentação acústica.

Além de Paulo Lepetit e Rodrigo Campos, o disco conta com a participação dos músicos Kuki Storlarski e Sérgio Reze (bateria), Théo da Cuíca e Jorge Neguinho (cuíca), Siba (rabeca), Fabio Tagliaferri (viola) e Swami Jr (violão).

Com o filtro da sensibilidade, Luísa recorta pedaços da história musical brasileira, do cotidiano da cidade de São Paulo e de seu povo. Juntando as faixas, salta aos ouvidos uma unidade, uma massa sonora de delicadezas, sensualidade e autenticidade. Um exemplo da constante evolução e reinterpretação da música brasileira, a estréia de Luísa Maita exibe uma artista exposta à tradição e modernidade, enraizada à vida contemporânea, pronta para devolver tudo aquilo que absorveu de sua família, da cidade e das pessoas: a música.

Download

agosto 3, 2010 at 3:59 pm 1 comentário


DNA – DISCOTECA NACIONAL

Este blog nasceu no ano de 2008 e tem como principal existência, difundir a música brasileira de qualidade, seja através de bandas ou DJs.
A prioridade do blog é a difusão de trabalhos independentes. Sabemos que existem blogs que não agem da mesma forma, portanto, se alguém se sentir ofendido ou prejudicado com o conteúdo de alguma postagem, avise-nos por e-mail para que ela seja retirada imediatamente

============================
P.S. O site WORDPRESS não hospeda arquivos de música e os links aqui postados têm prazo de validade limitado. ============================
Administração e conteúdo por Juniani Marzani - DJ 440

Contato: discotecanacional@gmail.com

Categorias

Blog Stats

  • 651,216 hits